Desafio da escrita: Dias 4 e 5

Dia 4: Abra a página 50 de um livro e escreva sobre ela

‘’Em meu sonho eu sei que estou caindo, mas não existe um para cima ou para baixo, nem paredes ou lados ou limites, apenas a sensação de frio e escuridão por toda parte. Estou tão assustada que poderia gritar, mas quando abro a boca nada acontece, e eu me pergunto, se você cair para sempre e nem tocar o chão, ainda é realmente caindo?Eu acho que vou cair para sempre.
Um barulho interrompe o silêncio, um pequeno som que cresce cada vez mais, até que se torna como uma foice de metal cortando o ar, cortando em mim—
Então eu acordo.
Meu alarme esteve tocando por vinte minutos, são seis e cinquenta da manhã.
Eu sento na cama, afastando o cobertor. Estou ensopada de suor, embora meu quarto esteja frio.
Minha garganta está seca e estou desesperada por água, como se estivesse correndo um longo caminho.
Por um segundo, quando eu olho ao redor do quarto tudo parece confuso e um pouco distorcido. Como se não visse meu quarto, mas sim uma transparência dele que não foi colocada corretamente e os cantos não coincidissem com o real. Então, a luz muda e tudo parece normal novamente.
Tudo volta de uma vez para mim e o sangue começa a golpear minha cabeça: A festa, Juliet Sykes, a briga com Kent—
“Sammy!” Minha porta abre, chocando contra a parede e Izzy atravessa o quarto correndo, pisando nos meus cadernos, meu jeans usado e minha blusa da Victoria’s Secret “Team Pink”. Algo está nas bordas da minha memória, mas logo desaparece e Izzy salta na minha cama, colocando seus braços ao meu redor. Estão quentes. Ela enrola sua mão em torno do colar que eu sempre uso, uma corrente fina de ouro com um pequeno pingente de pássaro pendurado nela, um presente da minha avó—e puxa gentilmente.
“Mamãe disse que você tem que levantar.” Sua respiração cheira a manteiga de amendoim e não é até que tiro ela de cima de mim que eu percebo que estou tremendo.
“É sábado,” digo. Não tenho ideia de como cheguei em casa ontem à noite. Não tenho ideia do que aconteceu com Lindsay ou Elody ou Ally. E só pensar nisso me faz mal.’’

Essa página do livro Antes que eu vá é o começo do capítulo dois e o segundo dia de vida ou segundo dia de morte da Sam, não sei dizer muito bem. Parafraseando essa belíssima primeira frase, no livro, a protagonista vive o dia 12 de fevereiro (dia do meu aniversário, a propósito) normalmente. Vai pra aula, ganha várias flores – já que dia 12 de fevereiro é o Dia do Cupido nos Estados Unidos -, sai com as amigas, planeja ficar com o namorado, vai pra festa e... Morre inesperadamente num acidente de carro.
Até aí tudo bem, quer dizer, tirando a parte dela morrer, mas o mais inacreditável é que no outro dia ela acorda novamente no dia 12 de fevereiro e se lembra de tudo o que aconteceu na noite passada, quer dizer, no primeiro dia 12 de fevereiro. Achando que tudo tinha sido apenas um sonho louco, ou um déjavu terrível, ela vê o segundo dia 12 de fevereiro se desenrolar da mesma forma que o primeiro e tenta mudar as coisas, mas outra pessoa acaba morrendo.
Ao viver o dia de sua morte várias vezes, Sam vai descobrir segredos do passado, dar valor a família e aos amigos, desvendar o mistério de sua morte e viver como nunca tinha vivido. 

Dia 5: Escreva sobre um lugar que queira conhecer

Um lugar com neve. Onde posso ver da janela do quarto os flocos brancos pingando, como gotas de chuva congeladas. Ir à rua com roupas mais pesadas que eu para me proteger do frio. Um lugar onde eu possa rolar na neve gargalhando com uma criança e estar feliz mesmo espirrando milhões de vezes devido ao resfriado que pegaria. Um lugar onde eu poderia botar uma cenoura na neve e dizer que é um boneco de neve. Um lugar onde eu possa abrir meus braços e pernas e dizer que seria meu anjo da neve e agir como se fosse de verdade. Como se esse anjo batesse as asas e fizesse mais flocos de neve caírem como em um vento frio. Depois voltar para dentro e sentir a água gelada ensopar as minhas meias e me fazer espirrar mais um pouco. E pra terminar, me esquentar com um cobertor grosso e uma xícara de chocolate quente, assistindo televisão nos braços de alguém.

Gostaram dos desafios? Me atrasei um pouco com eles porque fiquei sem internet e passei o fim de semana longe de casa. 

Quer entender o que é o desafio? Relembre o que é o desafio dos 15 dias de escrita e veja os desafios anteriores: Dias 2 e 3

Kamila Cavalcante

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...  

Oi! :)

Oi! :)
Essa história de que um blog precisa ter um assunto só e ter uma dona só é ultrapassada. O bom mesmo é se expressar, inovar, e fazer as pessoas se identificarem! Isso é o que pretendemos escrevendo este blog pra vocês. Gabrielle Almeida; 18, Ciencias Sociais. Kamila Cavalcante;18, Jornalismo. Ylla Biavatti, 18, Medicina Veterinária. Todas de Manaus - AM, postando diariamente assuntos totalmente desritmados! :)

Translate

Rádio Carapanã

Mais lidas!

Ocorreu um erro neste gadget
Desritmadas -

Vem também!

Parceiros