Editores de fotos: Be Funky e Cymera



Fotos são a maneira mais fácil de ter uma lembrança sólida de algum momento. Para deixar as fotos mais bonitas, alegres ou apenas para retocar uma falha na luz, muitos utilizam sites online, mas atualmente o que se mais recomendável e prático são os aplicativos de edição de fotos. Em outro post, mostramos para você os aplicativos VSCOCAM, Afterlight, Camera + entre outros. Se algum desses lhe interessa, clique aqui para ver o post. 

No post de hoje, vamos mostrar dois apps que eu baixei recentemente e estou adorando: o Be Funky e o Cymera. 


Be Funky

Originalmente o Be Funky era apenas um editor de fotos online e é o melhor que eu conheço. Só fiquei sabendo que tinham criado o App pra Android recentemente e corri pra baixar. 

O aplicativo é bem completo, com muitos filtros e diversas funções básicas, como recortar, ajeitar brilho, luz, contrastes e saturação. É um aplicativo muito bom e de fácil manuseio porém o site parece ser bem mais completo e ter mais filtros. 



Cymera


Conheci esse aplicativo recentemente por um blog que eu vi (não consigo lembrar o nome :( ) e acabei baixando para experimentar. O Cymera é um aplicativo gratuito e está disponível para Android e IOS. É um aplicativo bem prático e completo, conta com todos as opções que o Be Funky possui e vai além. 








Vocês conhecem os aplicativos? O que acham deles?

Kamila Cavalcante

Resenha: O diário de Anne Frank

Anne Frank, edição definitiva por Otto H. Frank e Mirjam Pressler - 373 páginas - Editora Best Bolso, 19ª edição - Rio de Janeiro. 2013. Título Original Holandês: HET ACHTERHUIS


Sinopse: 12 de junho de 1942 - 1° de agosto de 1944. Ao longo deste período, a jovem Anne Frank escreveu em seu diário toda a tensão que a família Frank sofreu durante a Segunda Guerra Mundial. Ao fim de muitos dias de silêncio e medo aterrorizante, eles foram descobertos pelos nazistas e deportados para campos de concentração. Anne inicialmente seguiu para Auschwitz e mais tarde para Bergen-Belsen. A força da narrativa de Anne, com impressionantes relatos das atrocidades e horrores cometidos contra os judeus, faz deste livro um precioso documento. Seu diário já foi traduzido para 67 línguas, e é um dos livros mais lidos do mundo. Ele destaca sentimentos, aflições, a transformação da menina em mulher, o despertar do amor, a fé inabalável na religião, e revela a rara nobreza de um espírito amadurecido no sofrimento. Um retrato da menina por trás do mito.



''Espero poder contar tudo a você, como nunca pude contar a ninguém, e espero que você seja uma grande fonte de conforto e ajuda.'' Anne Frank, 12 de junho de 1942.
     
            O Diário de Anne Frank é um livro biográfico e histórico escrito pela jovem judia Anne Frank durante os anos em que foi obrigada a se esconder com a sua família e mais quatro pessoas em um anexo secreto durante o Holocausto.
            Anne Frank nasceu na Alemanha e aos quatro anos de idade mudou-se para a Holanda devido a chegada de Hitler ao poder. A família Frank se muda para o anexo secreto do sotão do escritório de Otto Frank em 1942, com o início da caça aos judeus na Holanda. Juntos com a família Van Daan e o Sr. Dusser, eles permanecem escondidos por dois anos até serem descobertos em 4 de agosto de 1944.
           Por ser um diário, a história é toda narrada pelo ponto de vista da Anne, que o utilizava como única forma de desabafar sobre a mudança que estava ocorrendo em sua vida. Nele, ela descreve como foram os anos escondida, os horrores que ouvira sobre a guerra, a convivência e a tensão de viver limitada no anexo com outras pessoas e o medo constante de serem descobertos pelos nazistas e levados para os campos de concentração.
''Acredite, se você ficasse trancada um ano e meio, acabaria achando demais. Mas os sentimentos não podem ser ignorados, não importa que pareçam injustos ou ingratos. Gostaria de andar de bicicleta, dançar, assoviar, olhar o mundo, me sentir jovem e saber que sou livre, mas não posso deixar isso transparecer.'' Sexta-feira, 24 de dezembro de 1943.

           Pelos relatos do diário, podemos perceber o amadurecimento de Anne durante os dois anos e como ela conseguiu lidar e suportar a manter-se escondida. A força de vontade, a fé na religião e a esperança de que a guerra acabasse é bastante implícita nas cartas, além do desejo enorme de ter um futuro e ser amada.
          Anne queria ser escritora e jornalista e pelo diário, ela pode nos confidenciar seus medos, anseios e sonhos, além de mostrar como era difícil ser judeu durante a Segunda Guerra Mundial. Seu diário é um livro que vai te cativar e fazer refletir sobre a vida. É impossível chegar a última página do livro e não sentir uma grande angústia por Anne não ter conseguido sobreviver. É difícil de acreditar que ela não pôde ver seu diário se tornar um dos livros mais lidos do mundo e um grande documento histórico sobre o Holocausto.
           Anne Frank morreu durante uma epidemia de tifo no campo de concentração Bergen-Belsen entre Fevereiro e Março e foi enterrada numa vala comum junto de sua irmã Margot, que morrera dias antes da mesma doença. O campo de Bergen-Belsen foi libertado em 12 de Abril de 1945, um mês depois da morte de Anne. Seu Pai, Otto Frank foi o único sobrevivente das oito pessoas que viveram no anexo secreto.
          A história de Annelies Marie Frank deve ser conhecida por todos, pois a sua sensibilidade mostra-nos a emoção e a reflexão de uma garota forte, cheia de fé, coragem e a esperança de que dias melhores viriam.

O diário de Anne termina aqui. 

Melhores livros de 2013



Retrospectivas são praticamente uma tradição quando o fim do ano chega e, nesse ano, não vai ser diferente aqui no WTJ. Esse ano, apesar de muitas dificuldades, provações e momentos difíceis se mostrou um ano de aprendizado. No meu mundo literário, eu percebi que apesar de ainda haver alguns livros mais bobinhos (não os desmerecendo), a minha leitura cresceu bastante em sentido de vocabulário e clássicos. Muitos que irão aparecer nessa lista eu provavelmente já resenhei ou comentei aqui no blog então não é novidade para ninguém.

  • O diário de Anne Frank 

Anne Frank foi uma judia que viveu na Holanda durante a Segunda Guerra Mundial, período em que ocorreu o Holocausto. Com o início da perseguição aos judeus na Holanda, Anne, sua família e mais quatro pessoas decidem se esconder dos alemães. Durante dois anos, as oito pessoas viveram num anexo secreto, tendo que conviver diariamente com a tensão de serem descobertos. Enquanto estava escondida, Annie Frank escreveu um diário relatando sobre a convivência das pessoas que estavam escondidas com ela, as novidades sobre a guerra, além de seus pensamentos e fortes opiniões. Annie, quando começou a escrever no diário em 12 de junho de 1942, não passava de uma garota esperta, mas com o passar do tempo, pode-se perceber por suas cartas o amadurecimento, a esperança de voltar a ter uma vida normal e a fé na religião. Apesar de saber que sua família inteira - com exceção de seu pai, Otto Frank - falecera nos campos de concentração, ao acabar o livro e ler o prefácio eu me senti desolada, desejando poder mudar o final que Anne teve, querendo que ela aguentasse mais um tempinho pois a guerra estava para acabar. Isso foi o que mais me emocionou no livro e por isso eu o considero um dos melhores de 2013.  

  •  Divergente 

Divergente foi a grande descoberta para todos os antenados em literatura infanto-juvenil. O filme será lançado no primeiro semestre de 2014 e muitos já estão bastante ansiosos para ver a estória nas telonas. No livro, a sociedade é dividida em cinco facções: Abnegação, Audácia, Franqueza, Erudição e Amizade. Todos os jovens ao completar 16 anos devem passar por um teste de aptidão e escolher para qual facção desejam ir. Nisso conhecemos a nossa protagonista Beatrice Prior, que faz o teste de aptidão e seu resultado dá inconclusivo, o que significa que ela é uma Divergente. Entretanto ser uma Divergente pode ser algo perigoso... Se interessou pela estória? Confira a resenha completa de Divergente.

  • Anjos e demônios 

Anjos e demônios conta a primeira aventura do famoso professor de simbologia de Harvard Robert Langdon, escrito pelo renomado escritor Dan Brown. Na estória, Robert é chamado para desvendar um símbolo em um assassinato e descobre que algo muito valioso e mortal fora roubado de um dos maiores centro de pesquisa do mundo e que esse objeto irá explodir em menos de 24 horas na cidade do Vaticano durante a escolha do novo Papa. Esse livro veio para a  lista dos melhores do ano, pois, definitivamente, um livro nunca tinha me feito ficar tão aflita para chegar ao final e descobrir quem estava por trás de tudo e devo acrescentar que foi uma enorme surpresa do começo ao fim. Quer saber mais? Leia a resenha completa de Anjos e Demônios.

  • Puros 

Puros é um livro que eu não esperava nada e me deixou boquiaberta. Lendo a sinopse é difícil de imaginar uma estória legal com um final feliz. Quando uma explosão assola o mundo, aqueles que sobreviveram tiveram severas consequências, pois além da perda de membros da família e a grande miséria e dor, tiveram de se acostumar com as anomalias que as explosões trouxeram. Aqueles que foram expostos as bombas tiveram seus corpos acoplados aos objetos mais próximos no momento da explosão, desde outras pessoas até uma boneca, como a protagonista Pressia. Entretanto, há aquelas pessoas que saíram ilesas pois conseguiram entrar no Domo - grande fortaleza que os manteve seguros durante as explosões e os mantém saudáveis e superiores. Essas pessoas que não sofreram anomalias são chamadas de Puros. Entre eles, conhecemos Partridge, o filho do líder do Domo que por suspeitar que sua mãe continuava viva, fugiu do Domo á sua procura. Se interessou pela estória? Leia a resenha completa de Puros.


  • A Tormenta de Espadas 

É difícil comentar qualquer coisa sobre A tormenta de Espadas ou qualquer livro de As crônicas de gelo e fogo sem pensar em morte, lutas e cabeças rolando. De todos os livros que eu li esse ano, esse foi de longe o mais bem escrito e pensado. Pra quem conhece a série, sabe que cada capítulo é narrado por um personagem diferente em um canto dos sete reinos diferente, mas as estórias se entrelaçam com perfeição. Por ser o livro mais extenso da série, é uma leitura demorada mas muito bem aproveitada. Com passagens super elaboradas, cenas perfeitas e morte, muita morte esse é um dos melhores livros do ano. 



Gostaram da lista? Tem algum livro que você não concorda ou acha que faltou algum livro? Me adicione no Skoob e fique por dentro das leituras.

Kamila Cavalcante

Os posts mais acessados em 2013



2013 foi um ano difícil. Vestibulares, desilusões amorosas e más amizades foram bem presentes nesse ano, além de boas amizades, grandes amores e grandes risadas. Como todo mundo sabe, o blog serve para expor-nos seja de forma positiva ou para desabafar o que está entalado na garganta. Esse ano tivemos um bom retorno em relação aos posts, tendo muitas visualizações. Aqui estão os 12 posts mais lidos em 2013!

01. Avermelha
02. As melhores animações de todos os tempos... para mim
03. Lenços na cabeça
04. Gregorian
05. K-sis, quem lembra?
06. Papo de pijama: Bulimia
07. Resenha: Divergente
08. Só o amor constrói pontes indestrutíveis
09. Decorando o seu quarto
10. DIY: Tiara de flores
11. Tatuagens
12. Conheça a banda Onze:20

Qual foi seu post favorito?


Kamila Cavalcante 

Conhecendo Manaus: Largo de São Sebastião


Muitas vezes moramos sempre no mesmo lugar, criamos rotinas e não a quebramos. Por exemplo, a minha rotina por muitos anos se resumiu em escola, casa e shopping. E se alguém me perguntasse sobre algum lugar diferente desses eu ficava com cara de tacho sem fazer ideia de onde ficava.

Com o passar do tempo, a rotina diária se torna cansativa e descobrir o mundo se torna uma necessidade física e mental. Precisamos encontrar coisas novas pra fazer, lugares e pessoas novas pra conhecer, quebrar as rotinas feitas anteriormente.Viver cada dia de uma forma diferente, conhecendo lugares diferentes. Pensando nisso, criamos uma nova tag para mostrar lugares da nossa cidade para quem deseja conhecer lugares novos ou mesmo para pessoas de fora saberem onde ir quando viajarem para cá.

Hoje vamos começar pelo lugar mais clichê e conhecido de Manaus: o Largo de São Sebastião.

O Largo de São Sebastião se localiza no Centro. Nele, além da beleza do Largo podemos apreciar monumentos como o Teatro Amazonas, a Igreja de São Sebastião, além de espaços culturais e restaurantes. Nas suas proximidades podemos encontrar diversas lojas, o museu Casa Eduardo Ribeiro e ir andando até  Praça da Polícia.







Na African House e na Casa do Pensador (prédios restaurados) você tem variados tipos de sucos regionais, sanduíches e pratos simples, de carne, peixe, etc. Em qualquer um deles você pode sentar-se e admirar a vista para o Largo e para o grande Teatro Amazonas.
Já pra quem deseja apenas uma cerveja gelada, o local certo é o Bar do Armando, local onde você pode ter uma boa conversa com seus amigos em um casarão de época acolhedor, e em um dos melhores locais da cidade.
Na frente do largo você pode encontrar a sorveteria Glacial, onde você encontra determinados tipos de sorvetes, podendo amenizar o calor, já que nossa cidade é bastante quente em qualquer horário
Bem próximo dali também se encontra a Estação Arte & Fato, um belíssimo pub no estilo britânico. Teto rebaixado, meia luz, e decoração retrô ao charme do espaço (onde antes funcionava um bordel) o qual conta com apresentações musicais ao vivo de Quarta a Domingo. Bebidas e drinks não faltam, mas para comer apenas petiscos.


Contatos
Teatro Amazonas
Telefone: (92) 3232 1768
Horário de visitação guiada: De Ter. a Sáb. das 9h às 17h.
Palácio da Justiça
Telefone: (92) 3248 1844
Horário de visitação: De Ter. a Sex. das 10h às 17h / Dom. das 17h às 21h.
Galeria do Largo
Telefone: (92) 3622 0618
Horário de visitação: De Ter. a Dom. das 17h às 21h.
Casa das Artes
Telefone: (92) 3631 6227
Horário de visitação: De Ter. a Dom. das 17h às 21h.



Agradecimentos: Descobrindo o Amazonas, o El dorado é aqui.



Quando o mundo se tornou tão perigoso?



Quando eu era pequena o mundo era seguro. Eu podia brincar na rua com meus amigos e meu único medo era de cair no asfalto e ralar os joelhos. Eu dormia em paz, meu único medo sendo o escuro. Não havia assaltos, não havia assassinatos, não havia guerras. Viver era seguro.

Crescendo, percebi que o mundo sempre foi perigoso. Eu brincava na rua, mas meu pai me observava da calçada de casa, atento a qualquer perigo. Eu dormia em paz, mas com cadeados e trancas nas portas de casa, me separando da realidade tão perigosa. Meus pais me protegiam do mundo e o que eu acreditava ser o mundo perfeito, não passava de uma pequena bolha de proteção que me proporcionaram.

O mundo sempre foi perigoso. Principalmente o mundo capitalista em que vivemos, onde o mais importante é ter dinheiro. Não importa a origem dele. Não importa quem teve que matar pra conseguir o dinheiro. Não importa quantas crianças ficaram órfãs por terem seus pais mortos por causa de dinheiro. Nada disso importa. Apenas o dinheiro.

O mundo se tornou tão perigoso que nem mesmo os cadeados das portas nos protegem dos perigos. As guerras se tornaram parte do nosso cotidiano. Os números de mortos por armas apenas crescem. Um milhão. Dois milhões. Por ano. A crueldade não tem mais limites quando se trata de conseguir o que quer. Não existe amor ou compaixão. Temos que agradecer por cada dia vivido, pois enquanto um conseguiu viver, dezenas morreram injustamente. Será que há esperança para esse mundo?


O mundo sempre foi perigoso. 

Conhecendo Manaus


Muitas vezes moramos sempre no mesmo lugar, criamos rotinas e não a quebramos. Por exemplo, a minha rotina por muitos anos se resumiu em escola, casa e shopping. E se alguém me perguntasse sobre algum lugar diferente desses eu ficava com cara de tacho sem fazer ideia de onde ficava.

Com o passar do tempo, a rotina diária se torna cansativa e descobrir o mundo se torna uma necessidade física e mental. Precisamos encontrar coisas novas pra fazer, lugares e pessoas novas pra conhecer, quebrar as rotinas feitas anteriormente.Viver cada dia de uma forma diferente, conhecendo lugares diferentes. Pensando nisso, criamos uma nova tag para mostrar lugares da nossa cidade para quem deseja conhecer lugares novos ou mesmo para pessoas de fora saberem onde ir quando viajarem para cá.

Hoje vamos começar pelos lugares mais clichês e conhecidos de Manaus: Largo de São Sebastião.

O Largo de São Sebastião se localiza no Centro. Nele, além da beleza do Largo podemos apreciar monumentos como o Teatro Amazonas, a Igreja de São Sebastião, além de espaços culturais e restaurantes. Nas suas proximidades podemos encontrar diversas lojas, o museu Casa Eduardo Ribeiro e ir andando até  Praça da Polícia.






As opções gastronômicas são simples.
Na African House e na Casa do Pensador (prédios restaurados) você tem variados tipos de sucos regionais, sanduíches e pratos simples, de carne, peixe, etc. Em qualquer um deles você pode sentar-se e admirar a beleza do local. Tanto o teatro quando o largo.
Já pra quem deseja apenas uma cerveja gelada, o local certo é o Bar do Armando, local onde você pode ter uma boa conversa com seus amigos em um casarão de época acolhedor, e em um dos melhores locais da cidade.
Na frente do largo você pode encontrar a sorveteria Glacial, onde você encontra determinados tipos de sorvetes, podendo amenizar o calor, já que nossa cidade é bastante quente em qualquer horário
Bem próximo dali também se encontra a Estação Arte & Fato, um belíssimo pub no estilo britânico. Teto rebaixado, meia luz, e decoração retrô ao charme do espaço (onde antes funcionava um bordel) o qual conta com apresentações musicais ao vivo de Quarta a Domingo. Bebidas e drinks não faltam, mas para comer apenas pestiscos.



Não deixe de ver/fazer:
- O Teatro Amazonas é palco de concertos musicais e apresentações de teatro e dança quase todas as semanas, com entrada franca. Confira a nossa agenda cultural.
- Visite o Largo de São Sebastião à noite, quando os bares e museus estão funcionando e quando as apresentações culturais acontecem, além de ver todos os monumentos iluminados.
- O local é completamente seguro e livre de mendigos e camelôs, inclusive à noite.
- Por estar localizado fora do Largo de São Sebastião, é aconselhável tomar cuidado no caminho até o Museu Casa Eduardo Ribeiro. Uma vez chegando lá, porém, a segurança é garantida.
Para ver fotos do Largo de São Sebastião, clique aqui.

Contatos

Teatro Amazonas
  • Telefone: (92) 3232 1768
  • Horário de visitação guiada: De Ter. a Sáb. das 9h às 17h.
Palácio da Justiça
  • Telefone: (92) 3248 1844
  • Horário de visitação: De Ter. a Sex. das 10h às 17h / Dom. das 17h às 21h.
Galeria do Largo
  • Telefone: (92) 3622 0618
  • Horário de visitação: De Ter. a Dom. das 17h às 21h.
Casa das Artes
  • Telefone: (92) 3631 6227
  • Horário de visitação: De Ter. a Dom. das 17h às 21h.




Agradecimentos: Descobrindo o Amazonas, o El dorado é aqui.


Uma série por dia



A melhor parte das férias é poder fazer tudo o que você não pode fazer antes pela falta de tempo. Seja dormir ou se atualizar e conhecer todas as séries de tv possíveis. Pensando nisso, trouxe aqui cinco séries de tv que eu assisti essa semana para todos conhecerem. A lista é um pouco variada, indo da  Europa absolutista, passando pela Inglaterra vitoriana e ancorando no meio de um apocalipse zumbi.

  • The Walking Dead
         The Walking Dead é uma série pós-apocalíptica focada na luta de um grupo de pessoas que tentam sobreviver ao apocalipse zumbi e a crueldade das pessoas que também tentam sobreviver a ele. Na série, o grupo é liderado pelo policial Rick Grimes, que tenta - muitas vezes em vão - encontrar um lugar seguro para se estabelecer. Na quarta e atual temporada, eles finalmente encontram um local seguro para viver, mas claro, outro grupo tenta cobiçá-lo, levando-os a uma série de conflitos e tensões. A série é baseada na série de quadrinhos de mesmo nome feita por Robert Kirkman e o desenhista Tony Moore, posteriormente substituído pelo desenhista Charlie Adlard.


  •  Reign
Reign é uma série nova que está conquistando muita gente por aí. A trama  é uma adaptação da adolescência da Rainha da Escócia, Mary Stuart, esta que aos 6 anos foi prometida em casamento para o príncipe James, da França. Aos 15 anos, Mary vai a corte francesa e tem que lidar com uma provável guerra em seu país, a grande chance de não ter mais a França como aliada - que é o motivo dela se casar com James -, e o risco de perder a sua vida. Nem preciso dizer porque gostei dessa série, certo? Amo séries de época! A fotografia, os cenários e os figurinos são bem presentes na série, dando um aspecto lindíssimo. Porém, em comparação com outras séries de época que eu assisto (The Tudors), Reign é uma série mais adolescente do que histórica, apelando mais para o romance e o triângulo amoroso do que para a veracidade, mas como eu disse no começo, é uma adaptação.

  • Once upon a time in Wonderland
Só pelo nome já dá pra adivinhar porque eu assisti essa série. A série é um spin-off da série Once Upon a time, que vale ressaltar eu nunca assisti então não sei dizer se Once Upon a time in Wonderland tem alguma relação com ela. Pelo o que eu assisti, eu creio que não. Na série, Alice é mandada para um hospício por acreditar num mundo onde coelhos falam, lagartos fumam narguilé e um gato de Cheshire desaparece chamado País das Maravilhas. Quando Alice vai em busca de alguma prova de que tudo o que ela viveu era real, ela se apaixona por Cyrus, um gênio preso na sua lâmpada. Depois que Cyrus é morto pela Rainha Vermelha, Alice volta para o hospício desolada pela perda de seu verdadeiro amor, até que um dia, o Valete de Copas vai atrás dela dizer que Cyrus pode estar vivo, começando assim, a sua aventura. Honestamente eu não gostei muito da série. Amo a obra de Lewis Carrol e amo ainda mais as versões da Disney de 1951 e a do Tim Burton. A série é focada inteiramente, completamente e ridiculamente no amor da Alice e do Cyrus, o que deixou a série meio blergh. Entretanto, há personagens secundários que ao meu ver se destacaram bem mais na série, como o Valete de Copas e a Rainha Vermelha. Esperava muito mais dessa série, mas não vou deixar de assistir.

  • The Tudors
The Tudors é uma série de tv britânica baseada na história do Rei Henry VIII, da Inglaterra. A série nos mostra os principais fatos ocorridos durante o seu reinado, como o rompimento com a Igreja Católica Romana, o divórcio com a sua primeira esposa Catarina de Aragão, o casamento com a Ana Bolena e as consequências que levaram até a sua execução e milhares de outras coisas. A série é muito focada em mostrar o lado humano do rei, expondo seus defeitos, fraquezas e medos, entretanto mostra também suas principais alianças e acordos. Os atores, enredo, cenários e principalmente os figurinos dão um toque muito bom a série, tornando-a muito gostosa de se assistir. The Tudors consta com quatro temporadas e foi finalizada em 2010.

  • The Carrie Diaries
The Carrie diaries é um prequel da famosa série de tv Sex and the city. Assim que a série foi lançada no início desse ano, eu fiz um post mais detalhado aqui. A série conta a história de Carrie Bradshaw, uma adolescente que perdeu a mãe mas não se deixa abalar por isso, indo em busca de seus sonhos. Na segunda temporada, Carrie que conseguiu dar o primeiro passo e trabalhar na tão sonhada Interview Magazine, mas tem que conciliar trabalho, estudos, ex e atuais namorados de uma vez só e passar por todas as dificuldades adolescentes e ainda amadurecer ao mesmo tempo. A série nos mostra de um jeito divertido o amadurecimento da protagonista que aos poucos e talvez até muito nova vai conquistando seu espaço na cidade que nunca dorme. Além de ter a AnnaSophia Robb interpretando a Carrie que é uma excelente atriz, a série conquista a todos com a sua trilha sonora e episódio mais legais a cada semana.



Kamila Cavalcante
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...  

Oi! :)

Oi! :)
Essa história de que um blog precisa ter um assunto só e ter uma dona só é ultrapassada. O bom mesmo é se expressar, inovar, e fazer as pessoas se identificarem! Isso é o que pretendemos escrevendo este blog pra vocês. Gabrielle Almeida; 18, Ciencias Sociais. Kamila Cavalcante;18, Jornalismo. Ylla Biavatti, 18, Medicina Veterinária. Todas de Manaus - AM, postando diariamente assuntos totalmente desritmados! :)

Translate

Rádio Carapanã

Mais lidas!

Ocorreu um erro neste gadget
Desritmadas -

Vem também!

Parceiros