Papo de pijama: Bulimia


Todo mundo têm um segredo. Um segredo sujo, que te faz se olhar no espelho e sentir nojo de você mesma. Eu tenho um segredo assim. Meu nome é Ana e eu tenho bulimia. Comecei a fazer dieta quando tinha treze anos, mas depois de um tempo eu parava e engordava o dobro do peso que eu perdi na metade do tempo. Eu me olhava no espelho e pensava ‘’Eu não posso continuar assim!’’. Foi assim que começou.
A cada dia que passava eu comia menos que o dia anterior, evitava comer a todo custo e chegou uma hora que eu fazia apenas uma refeição por dia. Continuei assim por um tempo, até que eu parecia estar maior que antes. Fiquei desesperada, como eu poderia estar engordando comendo tão pouco?

A verdade era que eu não estava maior, apenas cega e obcecada por um corpo perfeito. A partir daí minha vida começou a mudar. Passava dias e mais dias sem comer nada e quando não aguentava mais, comia tudo o que via pela frente. Esse foi o meu plano por algum tempo, ficar o maior tempo possível sem comer e então comer qualquer coisa que eu quisesse. Mas não deu resultado. Eu me olhava no espelho e continuava enorme. Foi quando tive outra ideia: ficaria sem comer por dias e quando não aguentasse mais comeria, mas então botaria tudo pra fora novamente. E deu certo.

Por vários meses essa foi a minha solução. Dia após dia os números na balança iam diminuindo, mas a minha obsessão em ficar cada vez mais magra crescia. De repente o mais importante não era ser magra e sim, ser a mais magra. E os números iam diminuindo.

Acabei indo parar no hospital. Estava pesando 30 quilos e não conseguia mais andar direito. Só conseguia comer com um tubo de alimentação em mim. Eu estava morrendo, não conseguia comer, respirar se tornara difícil, meus órgãos não estavam mais funcionando direito e viver era impossível. Eu tinha que tomar uma decisão: ficar tão magra quanto a morte permitisse ou voltar a viver. 


A história da Ana é a mesma que a de muitas pessoas que lutam contra os distúrbios alimentares. Já fiz a resenha de um livro que fala sobre esses problemas (aqui). Esses distúrbios estão cada vez mais presentes nas vidas de milhares de pessoas que tentam se igualar aos padrões de perfeição que a sociedade nos impõe. Acompanhe as opiniões de diferentes garotas acerca do tema ''Bulimia: doença ou escolha?''


Yanka Evellyn - 15 anos


Acho que no começo é uma escolha. As pessoas escolhem se querem ou não passar por isso, ficam desesperadas por um jeito de conseguir aquilo que querem. Aí com o tempo acaba se transformando em uma doença porque não conseguem mais parar e aquilo que pensavam ser a solução pro problema, também se torna o problema.






Hannah Caroline - 18 anos

Acredito que seja uma questão de escolha porque existem outros métodos saudáveis para ter uma alimentação melhor e emagrecer. Mas seria como um julgamento dizer isso, porque existe um fator psicológico, não se sabe o que uma pessoa bulímica pensa de fato, como ela tá se vendo ou sentindo, deveria ter uma abordagem maior.






Gabriella Marques - 15 anos
Ambos. Na minha opinião tudo começa com uma escolha. Nas primeiras vezes em que você utiliza dos métodos para evitar o ganho de peso você escolhe, mas depois isso simplesmente desencadeia algo que é impossível de controlar e a doença começa. Você constrói a bulimia e ela desaba em cima de você."





Jayana Rebeca - 17 anos

bulimia é uma mistura de desespero, arrependimento e falta de auto-controle. A pessoa afetada não consegue controlar o seu apetite por vários motivos e acaba em um ato de arrependimento, por eliminar de qualquer forma o que comeu. Diferente da anorexia, a bulimia não tem sempre o objetivo do emagrecimento em todos os casos, por isso é preciso ter muito cuidado, já que a doença é mais fácil de ''esconder''. 





Camila Reis - 16 anos 
Bulimia sempre será um problema para a pessoa que sofre ou sofreu do transtorno e para as pessoas ao redor dela, mesmo se a pessoa se considerar ''saudável'' e ''recuperada'', ela sempre terá lembranças dos seus atos e das consequências, mesmo que tenha sido por pouco tempo ou por um período de tempo maior, ela sempre saberá o que fez com o seu corpo e, em parte, da sua sanidade. Bulimia não é brincadeira e o retorno das nossas ações pode não nos satisfazer.




Amanda Lohanny - 15 anos
Eu comecei a ter bulimia para esquecer os meus problemas e até mesmo emagrecer. Achei que poderia chamar a atenção dos outros com essa doença. Primeiro eu fui na internet e procurei como ficar com essa doença, só que eu não sabia que poderia me machucar tanto. Na primeira vez que eu vomitei por vontade própria foi tudo normal, mas depois eu ficava muito fraca, tonta, e com muita fome. Aí eu pensava "Se eu comer, vou precisar vomitar e vou ficar pior". Daí eu comecei a fazer esse processo todos os dias, em casa, na escola, em todos os lugares que eu ia. Tudo isso acontecendo comigo e a minha família sem saber de nada, porque eu aparentava estar bem. Eu comecei a me"viciar" em provocar depois das refeiçõs, se eu não vomitasse, ficava com falta de ar, mas creio que era coisa da minha cabeça. Depois de um mês e meio eu quase desmaiava na escola, as pessoas acharam estranho , pois eu não estava mais aguentando aquilo, eu queria parar só que não conseguia, tudo me dava enjoo, nem água eu conseguia beber, mas eu estava com fome então eu comia e colocava tudo pra fora, pois eu queria mesmo emagrecer. Em uma noite eu fui comer pizza e em seguida vomitei, dai fui tentar dormir só que eu conseguia, precisava provocar mais, sendo que meu estomago estava vazio, eu colocava o dedo na garganta e não saia nada, apenas pequenas quantidades de água. Aquela noite foi horrível, eu estava muito mal, tonta e suava frio, achei que ia morrer... Daí eu contei pra minha tia e ela achou um absurdo isso que eu estava fazendo, implorei pra ela não contar pra minha mãe, só que no outro dia minha mãe soube de tudo, pois eu precisava de ajuda. Passou-se três dias e eu ainda vomitava, mas não era por vontade própria. Então eu decidi parar, passava um pouco mal e emagreci 3 quilos sendo que o meu peso estava ótimo pra minha altura foi difícil. Eu me arrependo de tudo o que eu fiz durante esses dois meses. Porque eu queria fazer as coisas com a minha própria força. E isso nem chegou a ser Bulimia, tive um principio apenas. BULIMIA É UMA ESCOLHA QUE PODE NOS LEVAR A MORTE!

Gabrielly Bessa - 17 anos


A pessoa com bulimia não sabe muito bem o que está fazendo e nem porque. Acha que não ter barriga é sinônimo de beleza e que só uma pessoa magra é bonita. Então começa a fazer um regime, no começo não faz mal, pelo contrário. Mas a partir de um certo tempo a pessoa vai ficando cega e acha que ainda está gorda, então começa a vomitar e isso acaba se tornando um vício. Acaba virando então uma doença psicológica.




Quer fazer parte do próximo ''Papo de Pijama''? Envie um e-mail para contatowtj@gmail.com, com seu nome, idade e uma foto sua respondendo a seguinte pergunta: ''Qual é o momento certo pra se ter a primeira vez?''

Kamila Cavalcante

obs: história da introdução criada por mim. 


0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...  

Oi! :)

Oi! :)
Essa história de que um blog precisa ter um assunto só e ter uma dona só é ultrapassada. O bom mesmo é se expressar, inovar, e fazer as pessoas se identificarem! Isso é o que pretendemos escrevendo este blog pra vocês. Gabrielle Almeida; 18, Ciencias Sociais. Kamila Cavalcante;18, Jornalismo. Ylla Biavatti, 18, Medicina Veterinária. Todas de Manaus - AM, postando diariamente assuntos totalmente desritmados! :)

Translate

Rádio Carapanã

Mais lidas!

Ocorreu um erro neste gadget
Desritmadas -

Vem também!

Parceiros