Resenha: O feitiço da Noite

Leah Cypess - 263 páginas - Editora Prumo, São Paulo, 2012, título original: Nightspell

Neste lugar amaldiçoado, os fantasmas não habitam apenas as florestas ou as mais escuras cavernas, eles convivem lado a lado com os vivos, como parte de uma corte desvirtuada que repousa enquanto o Sol se faz alto no céu e desperta ao cair da noite. Quando a princesa Darri chegou à Terra dos Fantasmas, ela tinha apenas um objetivo- resgatar a irmã mais nova, Callie, que fora enviada a este mundo de medo e sombras quando ainda era uma criança. Mas nada é simples neste misterioso reino. A irmã mudou muito durante os quatro anos em que viveu entre os mortos e, agora, tem segredos só dela; os planos que Darri havia feito vêm abaixo quase imediatamente; e o belo príncipe fantasma, a quem Darri está prometida, parece estar mais vivo do que qualquer humano. Em uma corte fervendo com o desejo de vingança, Darri detém a chave para o equilíbrio entre a vida e a morte.



Em ''O feitiço da noite'' somos apresentados a princesa raelliana Darri, sua irmã Callie e ao seu irmão Varis. Quatro anos antes do início da narrativa, o pai de Darri entregou a filha mais nova à Terra dos Fantasmas para se casar com o príncipe e formar uma aliança entre dois povos. 

Como o nome já diz, a Terra dos Fantasmas é uma corte onde pessoas mortas e vivas convivem juntas. Isso acontece porque tempos atrás, para diminuir os assassinatos no reino, criaram um feitiço onde quem fosse assassinado voltaria em espírito para se vingar de seu assassino. Como muitos fantasmas não conseguem se vingar ou simplesmente não querem desaparecer, o reino é constituído por mais pessoas mortas do que pessoas vivas. 

Eis que o príncipe da Terra dos Fantasmas é assassinado e Callie não mais precisa casar com ele. É aí que seus irmãos viajam até a Terra dos Fantasmas para resgatá-la. O problema é que Callie não quer ir embora. 

A história têm todos os elementos que eu amo ler: magia, assassinatos, cortes reais, suspense e um enredo bom, mas não chega a impressionar. Era necessário desenvolver melhor a história e seus personagens, é tudo muito cru. 

É narrada em terceira pessoa e as páginas são brancas. Não sei porque mas eu não gosto muito. O livro em si não é ruim, mas não te deixa com aquela sensação de quero mais. 

É uma leitura rápida e se você curte fantasia, fantasmas, segredos reais e intrigas você irá gostar. 



0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...  

Oi! :)

Oi! :)
Essa história de que um blog precisa ter um assunto só e ter uma dona só é ultrapassada. O bom mesmo é se expressar, inovar, e fazer as pessoas se identificarem! Isso é o que pretendemos escrevendo este blog pra vocês. Gabrielle Almeida; 18, Ciencias Sociais. Kamila Cavalcante;18, Jornalismo. Ylla Biavatti, 18, Medicina Veterinária. Todas de Manaus - AM, postando diariamente assuntos totalmente desritmados! :)

Translate

Rádio Carapanã

Mais lidas!

Ocorreu um erro neste gadget
Desritmadas -

Vem também!

Parceiros