Garotas de Vidro - A verdade nem sempre é o que enxergamos

Laurie Halse Anderson, 272 páginas - Editora Novo Conceito, São Paulo, 2012. Título Original: Wintergirls. 


Sinopse: Lia e Cassie são amigas há anos, ambas congeladas em seus corpos. No entanto, em uma manhã, Lia acorda com a notícia de que Cassie está morta, e as circunstâncias de sua morte ainda são um mistério. Não bastasse isso, Cassie tentara falar com Lia momentos antes, para pedir ajuda.
Lia tem de lidar com o pai, que é um renomado escritor, sua madrasta e a mãe, uma cardiologista que vive ocupada, salvando a vida dos outros. Contudo, seu maior tormento é a voz dentro de si mesma, que não a deixa se esquecer de manter o controle, continuar forte e perder mais, sempre perder mais, e pesar menos. Bem menos.



Garotas de Vidro foi um livro que logo de cara me deixou super curiosa pra ler por se tratar de assuntos tão discutidos atualmente como anorexia e auto-mutilação. Porém, depositei esperanças demais no livro e ele acabou me desapontando em alguns aspectos.

''Aqui está uma garota segurando uma faca. Há gordura sobre o fogão, sangue no ar e palavras raivosas empilhadas nos cantos. Somos treinados para não ver, não ver nada disso.
... corpo encontrado em um quarto de motel, só... 
Alguém arrancou as minhas pálpebras.'' 

Apesar da veracidade dos fatos, a descrição da doença de Lia e o modo como isso corroía sua mente deixou a desejar. Diversas vezes eu me via irritada com a protagonista que parecia apenas querer chamar atenção causando dor a si mesma e as pessoas que a amavam. E talvez por ser escrito em primeira pessoa e termos apenas o modo da Lia ver as coisas, a reação dos pais dela diante da doença foram meio cruas. 

A partir da segunda metade do livro minha opinião mudou drasticamente. A maneira como a história foi se fechando tomou um rumo inesperado que me agradou. 


''Buracos negros abertos na frente de meus olhos, e o pássaro selvagem preso em meu coração bate suas asas freneticamente. Eu estou suando, finalmente aquecida.''

O livro é bem forte. O modo como a mente de Lia oscila entre a sanidade e a loucura causa certa angustia pra quem está lendo e torcendo para que ela se recupere. Num todo, a leitura é ótima e diferenciada e te faz pensar sobre as coisas que realmente importam, tais como saúde e família. 

''A idéia de comer é assustadora. As vozes desagradáveis sempre estão de plantão, ansiosas para me puxar de volta para baixo [...] mas, eu não vou deixá-las.''

Kamila Cavalcante. 




0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...  

Oi! :)

Oi! :)
Essa história de que um blog precisa ter um assunto só e ter uma dona só é ultrapassada. O bom mesmo é se expressar, inovar, e fazer as pessoas se identificarem! Isso é o que pretendemos escrevendo este blog pra vocês. Gabrielle Almeida; 18, Ciencias Sociais. Kamila Cavalcante;18, Jornalismo. Ylla Biavatti, 18, Medicina Veterinária. Todas de Manaus - AM, postando diariamente assuntos totalmente desritmados! :)

Translate

Rádio Carapanã

Mais lidas!

Ocorreu um erro neste gadget
Desritmadas -

Vem também!

Parceiros